Escute a Bitradio e ganhe dinheiro.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Senso de Responsabilidade

Senso de Responsabilidade


Existem autores ilustres, mas pouco conhecidos. O conteúdo de suas obras poderia ser comparado ao daqueles que se imortalizaram. Na verdade, eles estão pouco interessados em ser celebridades. Esperam apenas tocar corações e mentes, ao demonstrar seu ponto de vista acerca da verdade, no tempo e no espaço em que vivem e sonham. São pessoas de bem, do bem e que cultivam o belo. Uma dessas admiráveis figuras, em 1989, lançou o livro “O Senso de Responsabilidade na Sociedade” – Editora Aquariana. Quem já ouviu falar de Torkom Saraydarian?

Ocultista, músico, escritor, por meio de sua obra, faz a conexão entre o mundo espiritual e o quotidiano. Torkom é dessas raras pessoas idealistas e pragmáticas, que vivem intensamente o que pregam e têm a consciência de que a sua pátria é o próprio planeta. Analisando os acontecimentos e o comportamento humano no início desta segunda década do terceiro milênio, podemos reconhecer a importância de suas reflexões para as relações humanas retas na sociedade.

Vivemos uma época de deslumbramento com os avanços tecnológicos. Sentimo-nos poderosos, com a ampliação de nossa capacidade de se comunicar, se deslocar, ver, ouvir, conhecer, conquistar, curar, etc. Endeusamo-nos! E isso aconteceu logo após o fim dos regimes autoritários e totalitários do século passado. Foi tudo tão rápido! É tudo tão recente! Não fomos paulatinamente preparados para conviver com tanto poder e liberdade. As organizações sociais, distantes ou a reboque de tanta inovação, tentam desesperadamente adaptar-se, em caráter de emergência, aos novos cenários. E quantos esforços em vão de abnegados e bem intencionados profissionais das ciências humanas e sociais, na busca de teorias e filosofias eficazes. Realizam pífias mudanças, no instante em que o mundo nos exige revolução. Muitas vezes na contramão, ainda reforçam o individualismo, mantendo a lógica do século das guerras.

Educar para quê? Para a liberdade! Para a disciplina consciente compactuada. Para o respeito mútuo, a tolerância, a cooperação, a participação ativa, o comprometimento com o bem comum e a honestidade. Nesta sociedade global, de organismos e indivíduos cada vez mais interdependentes, não há mais espaço para ganhadores e perdedores. É preciso transformar essa ótica e utilizar estratégias adequadas aos novos tempos. Somos verdadeiramente vitoriosos, quando nas adversidades encontramos soluções compartilhadas de interesses coletivos.

O senso de responsabilidade na sociedade atual, conforme os argumentos de Torkom Saraydarian, aponta um caminho em direção à liberdade sem libertinagem e à evolução tecnológica sem a perda dos sublimes valores humanos universais. E, concomitantemente, podemos ser ancorados e norteados por esta síntese filosófico-religiosa: “só fazei ao próximo o que gostaríeis que ele vos fizesse”, cuja autoria poderia ser atribuída a Sócrates, Buda, Confúcio, Jesus e a tantos outros Iluminados.

por Guido de Castro - Fev/2010
(guidodecastro@hotmail.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário