Escute a Bitradio e ganhe dinheiro.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Política é uma coisa engraçada mesmo!

Engraçada para não dizer desgraçada uma vez que a vitima somos nós incautos eleitores e pagadores de impostos, ao contrario do que eles fazem com as promessas de campanha, deveria existir uma Receita Federal para cobrar dos políticos suas promessas. Com multas tão salgadas quanto as do leão que eles mesmos criam! E juram que não sonegam, além de declararem todos os bens, então onde arrumam tanto dinheiro para fazer campanha.

Vejam só como está o cenário em uma breve olhadela.

Temos o Serra que pediu voto para prefeito, prometeu que não sairia do cargo para se candidatar a Governador do estado de SP e..... Vejam o que aconteceu! Exatamente o inverso, aliás, foi a primeira coisa que o infeliz candidato fez. Falta de vergonha na cara? Aí agora o cara abandona o governo do estado e vem pedir voto para presidente, será que ele está achando que o Brasil inteiro resume-se a um bando de idiotas? Será que ele caso venha a se eleger vai cumprir pelo menos um mandato inteiro? Ou vai nomear FHC seu superintendente?

Vejam a Marina Silva, um exemplo de candidata, politicamente correta, ecologicamente correta, reconhecida internacionalmente, inteligente, sagaz, astuta mas parece que o brasileiro não vê suas qualidades, ou talvez ela não as saiba mostrar. Claro ela tem um grave defeito e talvez o pior de todos, ela é ex-petista, o que anula todas as suas qualidades e assim como Dilma a única coisa que fez até hoje na política foi ser Ministra, será que se ela ganhar a exemplo de Lula será ela que vai mandar ou governar? E o PT em um eventual triunfo de Marina onde ficaria? Junto com o PSDB ou baixaria o chapéu?

E finalmente temos a minha preferida, a atriz do ano, “the oscar go to” Dilma Russeff, a mulher a dois anos era tratada por todos incluindo os petistas que hoje a defendem e puxam o saco dela como a Pit Bull raivosa do planalto, em oito anos de governo Lula nos últimos seis anos e maio ela foi a afronta a moda, a afronta do bom humor no planalto, não se via um sorriso dessa mulher nem para dar bom dia ao próprio presidente e agora até piada ela deu em querer fazer, será que as polêmicas plásticas eram para facilitar a expressão de um sorriso? Algo como se levantar a sobrancelha o sorriso é automático, sei que a mulher mudou da água para aguardente de segunda e parece que o povo gostou, assim como o Lula vai gostar de cachaça assim lá no Brasil.

E é assim olhando para esse triste e bucólico cenário que o brasileiro vai querer olhar para o futuro. O que chega a dar tristeza! Qualquer pessoa alheia a isso tudo que olhar para os candidatos e a sua historia até aqui vai perguntar se é o enredo de um filme de comedia.

Agora no Brasil independente de qualidades e de quem seja falou em política parece que falou em futebol, o povo parece se dividir em times e é aí que as mer#&#s ficam cada vez maiores, vejam como funciona: E muito cuidado para não se identificar com algum desses casos!

Tem uns que simplesmente escolhem o que acham que vai ganhar e vota nele ou nela, mas se a pesquisa no dia da eleição mudar o infame eleitor que faz o tal voto útil muda sua convicção política.

Tem os fanáticos, esses são os piores, pois além de serem do partido do candidato que muitas das vezes nem eles mesmos acreditam e confiam no cara ou na cara, mas tentam fazer com que o resto do mundo acredite e confie no infeliz. “Que ninguém me ouça, mas o petista neste ponto é mais chato do que torcedor do Vasco.”

Temos o cidadão que diz que política, religião e futebol não se discute, maaaaaaaaiiiissss ELEEEEE vai votar no fulano, e aí o infeliz passa meia hora falando as mentiras que ouviu de alguém que fez um favor político para ele tentando angariar uns votinhos e uns trocados também e, o pior! Ele pensa que sabe disfarçar muito bem e que ninguém sabe disso. Mas ele não admite discussões, porém favor não é discussão.

O eleitor político, esse é digno de pena, a pena é que ele mesmo não pode se ver para dar boas risadas. O cara normalmente entra em um partido que alguém do grupo político dele mandou ele entrar, ele não tem a mínima idéia da ideologia do partido aí sai querendo fazer o mundo todo votar na legenda dele, nem voto para ele o infeliz tem a cara de pau de pedir, claro! Nas próximas eleições ele vai estar em outro partido mesmo. Junto com esse tipo tem aquele que entra para um partido, conhece a fundo o partido prega o que diz o partido, mas na vida cotidiana não aplica nada do que defende, é o tipão que usa muito aquele ditado muito inteligente. “ Faz o que eu mando e não o que eu faço!” Que saudade do Ciro!

Tem o eleitor espalhafatoso, é aquele que briga, xinga tudo que é político, mas vezes ele é político e entra para a política, as vezes ele até se elege para algum cargo, é opositor a tudo e a todos diz que nunca vai aprovar nada, faz o maior barulho mas na hora “h” vota a favor do poder, pior ainda se justifica contradizendo o que disse a minutos atrás. Para não ser atacado sempre ataca, atira primeiro depois pergunta. Normalmente são políticos de um só mandato que depois vivem à custa do governo em cargos políticos nomeados ou comissionados. É o tipo que mais dá prejuízo, cívico, publico e principalmente moral.

Tem o eleitor classe social, esse é igual madame em beira de vitrine de shopping, só vota em candidato elitista, com grife e que ostentam uma soberba insuportável. Naturalmente nem o próprio eleitor consegue gostar do seu candidato, mas como é o que tem pedigree ele vota assim mesmo, algo como torcer para o São Paulo, Palmeiras, Fluminense, não porque o time é bom, mas sim porque o fulano de tal torce pelo time. Os tucanos que não leiam isso, mas não sei por que os vejo inclusos nesse tipo.

O eleitor povão curintia e mengão, é aquele eleitor consciente! Que sabe o que quer . Que não é uma questão só de coração, de paixão ele normalmente escolhe o politico no dia da votação vai bem cedo para a seção só para ficar mais tempo a toa enchendo a cara no boteco e falando da sua verdadeira paixão, neste caso tanto faz o curinga ou o mengão.

Tem o eleitor chato, que busca a perfeição nos candidatos, e por não conseguir encontrar nada que o leve a votar em qualquer dos infelizes acaba se revoltando, escrevendo um monte de porcarias no blog, Orkut, twitter e votando nulo para não ter que escolher entre o menos pior e o pior mesmo. Não sei porque vejo esse tipo de eleitor e olho com tristeza para os candidatos desse ano.

E agora o tipão que mais gosto, o eleitor tropa de elite (atira para todos os lados) ou o fanfarrão promete votar em todos vai a todas as festas e churrascos comemorar a vitória seja La quem ganhar. O cara geralmente ganha emprego na administração, pede voto para todo mundo e acaba não votando em ninguém, viaja com a amante e ainda justifica o voto. Mais brasileiro impossível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário