quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A fama do Brasil por causa do "jeitinho"

Não é só brasileiro que acha jeitinho para tudo não! Mas, até mesmo, quando a cagada vem de um americano, tem um brasileiro ou uma quadrilha made in Brazil metido pelo meio.

Não bastasse o Brasil e os brasileiros levarem a fama de país não confiável, em algumas esferas internacionais, porque uma meia dúzia de “malandros”, que vive aqui, resolveu adotar a política de viver na base do jeitinho, o que acabou por criar uma geração um tanto quanto deficiente de valores morais e conhecimentos éticos.
Aproveitando-se da fama e da falha de caráter de alguns brasileiros, o americano Osama El Atari forjou sua própria morte em uma funerária no Rio. Ele conseguiu empréstimos bancários equivalentes a R$ 100 milhões de dólares com documentos falsos e usou o golpe da morte para se livrar das dividas e ainda dar um golpe milionário em seguradoras.

O médico Paulo Alves Viana, que assinou o falso atestado de óbito, foi preso com mais dois agentes funerários envolvidos no esquema da fraude. O trio usou documentos da funerária Rio Pax, que já é investigada pelo golpe da falsa morte do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o "Nem" da Rocinha.

O americano está preso, vai ter que devolver todo o dinheiro que se apropriou e sua família e sócios, estão receosos em perder as empresas que possuem para pagar os empréstimos do ambicioso malandro.

A diferença é que lá o cara vai preso e pega perpétua, já aqui!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário