sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

A crise no complexo do Alemão

Até agora estive apenas vendo como se daria o desfecho do que dizem ser o inicio da pacificação dos morros e redutos de drogas do Rio de Janeiro. Foi sem dúvida louvável a retomada do morro do Alemão e imediações pelas forças de segurança e os cidadãos brasileiros, trabalhadores e livres, da batuta dos chefes do narcotráfico.

Mas cadê esses chefes? Com tantos bandidos correndo por cima daqueles morros, mais os que estavam no morro do Alemão e só apresentaram 466 armas, sendo que parte delas estavam engraxadas e guardadas, algumas até sem usos, o que nos leva a crer, que as armas que os fugitivos ou os que não foram pegos estavam usando, ainda continuam sob o poder dos bandidos, e me perdoem os otimistas, mas tudo isso por falta de uma ação e uma retomada ou entrada com o aparato policial e militar feita com mais inteligência, caso contrário os bandidos e principalmente os peixes grandes não teriam fugido.

Estou vendo comandante de tudo que é policia, de tudo que é batalhão que participou da operação dando entrevista como se tivessem acabado de bradar a liberdade do Brasil! Mas, sabemos muito bem, que não é bem isso, que não fizeram nada mais do que suas obrigações como membros do aparato que tem por objetivo maior defender a soberania do país e a liberdade dos seus habitantes, isso, com pelo menos 20 anos de atraso, e isso é se daqui uns dias todo mundo não decidir ir embora e deixar a população a própria sorte no meio da disputa de território entre milícias e traficantes.

A cada momento leio uma informação diferente, mas seguindo a média são 188 pessoas que foram presas, e as outras, cadê?

Eu já disse e repito! A ação foi louvável a intenção também, mas o resultado na prática olhando pelo lado do cidadão foi um desastre.

Explico:

Agora os traficantes vão sair feito loucos pelo interior do estado e cidades de estados vizinhos tentando levantar dinheiro para se estabelecerem em outro lugar, isso já é fato! Basta procurar em jornais de cidades como Resende, Barra Mansa, e Volta Redonda, Vassouras. Piraí, Barra do Piraí e outras, que é notório o aumento da atividade criminosa.

Mas se foi uma ação coordenada entre as policias e as forças armadas, por que as fronteiras do estado, as vias não só de acesso mas de saída das redondezas dos complexos não foram imediatamente fechadas e barreiras policiais não foram montadas com policiamento ostensivo para evitar que os marginais saíssem do Rio como, por exemplo, em 92 que o comando do leste colocou pontos de revista em todas as entradas e saídas do estado e também para que a ação tivesse mais êxito no sentido de retirar não só a droga ou parte das armas, mas sim tirar o trabalhador das drogas das ruas?

Tudo o que pude procurar e notar é que muitos cidadãos cariocas estavam revoltados com as barreiras da Lei Seca, que enquanto bandidos fugiam da cidade estes estavam parando cidadãos de bem, trabalhadores e até mesmo talvez bandidos em fuga para saber se esses estavam alcoolizados.

E para finalizar minhas considerações sobre o evento, primeiro destaco a Rede globo que na maior parte do tempo vem prestando um desserviço a sociedade quando quer mostrar com tal afinco a notícia em primeira mão, com exclusividade e ser a primeira a chegar na zona de conflito, que passa a atrapalhar as ações da policia, dando exemplo a transmissão ao vivo de como a policia estava agindo, onde não estava cercando e de forma indireta dado a dica para os bandidos para onde poderiam correr, e principalmente voando sobre as áreas onde poderiam estar vários atiradores de elite da policia que teriam suas posições reveladas se por acaso começassem a atirar nos bandidos que estavam em fuga, saindo do conjunto de favelas da Penha, indo para o morro do Alemão.

Segundo destaco o fechamento do espaço aéreo sobre a zona de conflito para que a operação pudesse ser feita sem que os bandidos pudessem se orientar utilizando a TV, como um ponto positivo para a policia, e como ponto negativo de não permitir e até solicitar que a imprensa de uma forma geral acompanhasse, depois que a área foi tomada e estabilizada as operações de busca e apreensão feitas nas casas, onde começam a aparecer diversas denuncias sobre excesso de força, falta de respeito, policiais humilhando cidadãos, dinheiro de indenização trabalhista que é tomado do cidadão que tinha todos os papéis que comprovam a origem do dinheiro, acusação de facilitação de fuga de bandidos em troca de barras de ouro, casas que são quebradas, bem como moveis e utensílios, enquanto eram revistadas, enfim toda forma de excesso os quais não se esperava vindo de um grupo de pessoas que colocaram suas vidas em risco para trazer alivio, conforto e esperança aos moradores daquelas comunidades e não trazerem mais violência, medo e humilhação pública.

Tenho certeza de que a maioria dos profissionais que ali trabalharam são pessoas integras de conduta ilibada, mas que tiveram seu trabalho manchado por alguns integrantes dessa polícia que infelizmente ainda tropeça nas próprias burocracias e no corporativismo, quando o assunto é investigar e punir maus policiais.

Finalizando! Tudo muito bom! Foi quase tudo perfeito, quase tudo um sucesso, mas e agora quem é que vai livrar as pequenas cidades e cidades do interior dos bandidos que fugiram do cerco da policia e estão ainda mais violentos e querendo mostrar poder, força por meio da intimidação da população?

Nenhum comentário:

Postar um comentário