Escute a Bitradio e ganhe dinheiro.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Bruno treina com garrafas pet em presídio; Justiça nega habeas corpus

Preso desde julho do ano passado, Bruno não perdeu contato com o futebol. O goleiro, acusado pelo desaparecimento de Eliza Samudio, mantém a forma no presídio Nelson Hungria, em Contagem (Minas Gerais), com materiais improvisados e outros equipamentos levados pela noiva, Ingrid Oliveira.

De acordo com reportagem publicada pelo jornal Lance nesta quarta-feira, Bruno usa garrafas pet como traves improvisadas. O goleiro também recebeu um extensor, duas bolas, dois pares de luvas, camisas, calções e meiões.

Além dos treinos improvisados, Bruno tem acompanhado algumas partidas de futebol em um televisor de 14 polegadas levado por sua família. Ele também passa seu tempo assistindo a novelas e cultos. O goleiro também lê publicações evangélicas – ele recebeu uma bíblia e 150 livros, enviados pelo pastor Márcio Valadão.

Em sua cela, Bruno mantinha algumas fotos de suas filhas e da noiva. No entanto, as imagens foram retiradas. O goleiro recebe em média cinco cartas por semana, lidas pelos funcionários do presídio por medida de segurança. Mulheres e parentes de presos costumam pedir autógrafos a ele.

Habeas Corpus negado

Por unanimidade, os desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais decidiram negar na tarde desta quarta-feira o pedido de habeas corpus para Bruno. O relator do pedido concordou com a juíza do caso e disse que a prisão é responsável para manter a ordem pública e garantir a conveniência da instrução criminal.

Bruno foi acusado de sequestro, cárcere privado, homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Eliza Samudio, que teve um relacionamento com o goleiro no início de 2009, desapareceu e houve denúncias de que ela teria sido morta no sítio do jogador, em Minas Gerais.


Fonte

UOL Esporte*

Um comentário:

  1. Só não entendo o seguinte:
    Ele não confessou, não apareceu nenhum corpo, não tem arma do crime, enfim de tudo o que já vimos na TV esse caso não tem nada. O que esse cara está fazendo preso?
    Não que eu ache ele culpado ou inocente, e isso nem importa para mim, o que questiono é a aplicação da lei em nosso país. Para alguns a lei funciona, para outros não.
    A merda toda é que esse cara vai sair da cadeia e se não conseguirem PROVAS que não circunstanciais, ele vai processar o sistema e ganhar dinheiro a nossas custas.

    ResponderExcluir