domingo, 17 de abril de 2011

Preço do petróleos e derivados na mira dos consumidores.

Nas ultimas semanas vem sendo veiculadas na internet, varias propagandas contra os altos preços dos combustíveis no Brasil, onde comparados a países que nem produzem petróleo e derivados o brasil tem preço avaliado em mais de 40% acima dos preços praticados nesses mercados.

É segundo essas denuncias o petróleo mais caro das Américas, e um dos mais caros do mundo o que afeta diretamente no preço do transporte e no crescimento do país.

Segundo alguns militantes que tem disparados e-mails convocando a população a não abastecer em postos da gigante do petróleo, a brasileira Petrobras, essa diferença assim como o alto custo da energia elétrica e taxas de aeroportos servem apenas para manter cargos com altos salários no governo, para aliados de campanha politica e para angariarem fundos para o caixa de políticos e partidos.

Sendo ou não verdade os argumentos pelos quais o valor do petróleo do Brasil é hiperfaturado, é fato de que o país perde muito em competitividade por conta do alto valor desse bem, sofre ainda mais com o subsidio do governo ao projeto etanol com dinheiro publico e não privado.

A proposta dos militantes é para que até que os preços dos combustíveis baixem, ninguém abasteça mais em postos da bandeira BR, forçando assim um reajuste na tabela e por consequência um alinhamento natural da lei da oferta e da procura e da lei de mercado onde quem tem o melhor preço, combinado com um produto de qualidade e um ótimo atendimento, ou seja, custo x benéfico, consegue vender mais.

Pessoalmente faço votos de que essa iniciativa saia da internet e vá para as ruas, vire adesivos, propaganda de rádio e de tv que não ganham subsídios do governo e que tenham o edital livre para poderem dar essa notícia, até porque é o tipo de iniciativa que faz parte de um dos principais pilares do capitalismo, a especulação de mercado, embora não sendo um expert em mercado de ações creio que se o governo não tomar uma medida agora as ações da BR, vão cair e muito, pois quem vai querer manter ações de uma empresa que está na mira do consumidor do seu próprio país por exploração desse consumidor, seria uma imagem péssima para quem quer manter em alta suas ações e felizes seus investidores, hoje eu pessoalmente não investiria um real na BR, preferiria algo mais sólido.

Edson Carvalho Miranda

Este site observa a Lei de Direitos Autorais, é expressamente proibida a reprodução de parte ou todo, de qualquer material postado sem a prévia autorização por escrito do seu criador, conforme descrito na Lei de Direitos Autorais nº9.610, de 19.02.98.

Nenhum comentário:

Postar um comentário