Escute a Bitradio e ganhe dinheiro.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Governador do Rio age de forma covarde, para com os Bombeiros.

Muito embora os bombeiros tenham tomado uma atitude de quem nunca leu o código de ética de sua profissão, ou da corporação a qual fazem parte, e de fato mancharam o nome e a reputação da corporação que é das mais respeitadas pela sociedade, com o interesse politico de alguns de seus colaboradores, que colocam suas ambições pessoais acima dos interesses que dizem defenderem, coisa muito fácil da própria população resolver esse conflito ético entre os maus profissionais que misturam seus cargos públicos e seu apelo diante da população oriundo do seus cargos, simplesmente não votando em militares, policiais, médicos, bombeiros e qualquer outro profissional concursado que tenha utilizado o nome de sua corporação em beneficio politico, pois esses irresponsáveis mancharam o nome da instituição que os acolhem com a atitude vândala e insensata de invadir e vandalizar o batalhão central da corporação.

Mas daí a colocar PMs, BOPE e batalhão de choque, homens que colocam suas vidas nas mãos uns dos outros frente a frente é uma covardia e um sinal da incompetência e fraqueza do governador do estado do Rio, Sr. Sérgio Cabral, isso sem contar o amadorismo sem precedentes no Estado do Rio de Janeiro em administração de crise por parte de um politico que ocupe um cargo importante, assim como o chefe dos bombeiros que foi exonerado, o governador do estado por permitir que a situação se agravasse a esse ponto deveria ter o mesmo destino, ou seja falta atuação da ALERJ.

Isso não é uma critica ao fraco governo do Rio ou ao seu chefe, que esconde-se atrás de entidades como BOPE em sinal de medo, de covardia, falta de preparo, isso é uma afirmação com bases sólidas e só não vê quem não quer...

Fato: Sergio Cabral não cumpriu nem 10% do que prometeu em campanha, quer seja do primeiro mandato, quer seja do atual, e nem conseguirá cumprir no restante de tempo que lhe falta de governo, devido a sua incapacidade de gestão, bem como de sua equipe, que a mais de 4 meses não consegue chegar a um denominador comum com os servidores em questões de negociação de salários, igual aos seus antecessores e agora segundo ele culpados pelo destempero dos bombeiros, Antony Garotinho e Rosinha Mateus, que foram mais dois fiascos do governo do estado e não merecem, os três, serem eleitos se quer representante de classe dos cursinhos de baixa qualidade que colocam a disposição da população dizendo como curso técnico, ou mesmo fazerem linhagem politica, conforme tem feito o Senhor Garotinho com seus filhos e fiéis de igreja, está na hora do povo entrar na politica e muda-la. Chegou a hora de o próprio povo escolher seus representantes e não apenas aceitar essas bombas que já veem prontas e com data de validade, que nos mandam os partidos, que ao contrario do que prega nosso sistema, tem donos, o que é contra os princípios ético dos mesmos!

Neste caso em particular, Cabral foi sórdido, pois colocou membros de uma mesma corporação frente a frente, isso no mundo dos homens não se faz! Só dos garotinhos! Não vejo na história politica do nosso país um ato maior de covardia e sordidez.

Mas, muito me espanta, pessoas capacitadas, treinadas e com senso de comando como os chefes do BOPE e da PM neste caso, obedecer a um irresponsável como foi o Cabral em sua ordem de atacar os bombeiros, não era caso para embate como já tivemos entre policia civil e militar, não é hora nem momento de se provar quem tem mais poder, o BOPE, se ainda tem alguma moral diante da população é devido a um filme que retratou uma policia que um dia já existiu e hoje, não existe mais, ganhou moral com o povo, ganhou o carisma do povo e em minha humilde opinião, jogou tudo na lama, obedecendo as ordens de um menino mimado que não consegue fazer o seu dever de casa, lembro-vos que sois, homens de carreira e profissionais de oficio, com poder de persuasão mesmo que a força bruta, sobre um destempero onde deveriam ter contido a catastrófica ordem do garotinho assustado Cabral, já que Cabral é só mais um aventureiro sem capacidade, que assume o governo do estado, como é de praxe no estado do Rio, que aliás não tem um governador que se pode dizer bom, já faz mais de 30 anos, isso é uma vergonha e um atestado de incapacidade politica do povo carioca!

Conclusão da cena ridícula passada para o resto do país envergonhando o estado; o corpo de bombeiros do Rio além de estar sem comando, está sem sua real identidade sobre sua função, a PM que já vinha em um processo degradante, se afunda miais ainda do mar de lamas que a todos os dias vemos na TV e o BOPE, que para muitos seria a salvação desse estado agonizante do que é a politica pública do Estado do Rio e a entidade acima dos interesses políticos, virou soldadinhos de chumbo de um governador incapaz, irresponsável, pois poderia ter matado famílias inteiras com seu infeliz decreto e o pior, não há nada no horizonte do estado que indique que possa haver uma situação de melhoria, no desgoverno do estado do Rio, desgoverno esse que contamina a assembleia do estado que virou um balcão de negócios voltado para a permanecia dos que lá estão no poder, e por isso não tomam a medida mais sensata que seria abrir uma CPI dos Bombeiros para avaliar as ações dos envolvidos e punir de cima para baixo os irresponsáveis, já a prefeitura da capital que tem um prefeito megalomaníaco que se mostra apenas interessado em substituir o incompetente Cabral, que por sua vez tem um vice governador louco para ganhar o lugar do chefe e arrumar uma boquinha para sua mulher, além de um ministro de estado que visa o mesmo, porém se finge de morto fazendo propagandas e usando o governo federal para enaltecer um partido, cuja ideologia se foi junto com seus criadores, além é claro de uma câmara municipal da cidade que sem moral diante dos escândalo dos carrões não serve de exemplo.

Esse é o estado do Rio, essa é a politica do estado do Rio e isso não é de hoje!

2 comentários:

  1. Por que o ato dos bombeiros cria um precedente perigoso

    Os bombeiros assim como qualquer categoria têm o direito de pedir melhoria salarial, ocorre que por servirem junto com a PM, sob regime militar, lhes é vetado o direto à greve. Nos últimos dias o que tenho visto no Rio é um circo. Uma categoria que vem sendo “doutrinada” por políticos faz meses, chega ao ponto de rasgar sua lei militar, invadir um quartel, ocupar e inutilizar viaturas.
    Ora, isso é inadmissível em um estado de direito. Imaginemos se médicos decidem fazer greve, invadir hospitais, furar pneu das ambulâncias e trancar as portas; E se um dia policiais em greve ocuparem os presídios e ameaçarem soltar os presos? Não obstante, teríamos ainda a possibilidade de Soldados do exército em greve, colocarem tanques para obstruir vias. Pergunto: Onde a sociedade vai parar? É esse o precedente que a sociedade deseja abrir com os bombeiros?
    Para que não corramos esse risco há uma legislação militar que rege as FFA, Bombeiros e a PM. Independente de qualquer pleito salarial, ela tem de ser respeitada. No momento em que a sociedade permitir que essa lei seja ignorada, estará pondo em risco sua própria ordem.

    ResponderExcluir
  2. Parto do principio de que o governador prevaricou, pois não agiu de acordo com sua posição e sua ocupação. No passar dos meses em que os bombeiros e outras categorias como professores, médicos, serventuários da justiça procuraram o dialogo ele simplesmente se colocou indisponível e não negociou o que é pertinente a cargos executivos ocupados por políticos, se nem isso ele tem capacidade para fazer, como vou culpar os bombeiros que parecem sem uma liderança como vemos nas forças armada, pois ao que vemos os comandantes no ápice da crise sumiram. Não acho correta a atitude dos bombeiros e nem a anistia aos que promoveram a bandalheira, mas acho que todos que contribuíram para que a crise chegasse a esse ponto devem assim como os bombeiros serem punidos e quanto maior a patente e o cargo maior a punição.

    ResponderExcluir