sexta-feira, 8 de julho de 2011

Marina deixa PV, e faz criticas a majoritária do partido.

A ex-senadora da republica Marina Silva, deixou nesta quinta-feira, 7 de julho de 2011 o Partido Verde. Em seu discurso a ex-petista e terceira colocada nas eleições presidenciais de 2010, defendeu que os partidos abandonem velhas práticas. Até inventou uma nova palavra para definir seu gesto: “não é hora de ser pragmática, é hora de ser “sonhática’”.

Comentário:

Quem sai aos seus não se degenera!

Vejo Marina como um Lula de saias, porém sem a mesma simpatia e popularidade, na verdade brigas existem em todos os partidos e a verdade é que Marina nunca foi bem vista pelos membros do PV e isso agravou-se quando ela viu que não tinha ao seu lado todos os membros que detinham o poder dentro partido, e junto com Sirkis, inventou uma historinha de democratização do partido. Utilizando-se da velha e conhecida tática do PT, de criar mal estar dentre os comandantes dividi-los para conquistar o poder, tendo em Sirkis um fiel aliado em busca do poder majoritário do partido, ela se sustentou até agora. Para agravar a imagem da ex-senadora foi muito arranhada com as denuncias de que o seu marido, o técnico agrícola Fábio Vaz de Lima foi acusado de fraudes na extinta SUDAM, onde teria se beneficiado de um fundo de investimento na Amazônia, o que não fica bem para politico nenhum e é imperdoável, se confirmado o envolvimento de alguém do PV.

Em tempo, já não era sem tempo para a Marina deixar o PV, talvez um dos poucos partidos cujo integrantes de fato seguem a ideologia do partido, salvo algumas exceções de políticos que vivem de galho em galho se aproveitando de situações e legendas para se elegerem.

Resta saber agora como fica a vida de Sirkis, que por muitos e talvez a maioria dos filiados do partido seja visto como a esquerda radical do partido, embora um dos fundadores do partido junto com Gabeira e Minc, parece ainda não ter tirado a vermelhidão da forma de fazer politica o que definitivamente nos dias de hoje é o oposto da visão do partido, pelos eleitores.

No sul do estado Sirkis conta com Fernando Monandro, ex-vereador da cidade de Resende e protagonista do maior vexame politico da historia da cidade de Resende, onde fez oposição ao governo de Silvio de Carvalho durante todo o seu mandato, foi contraditório em seus votos na câmara municipal, principalmente no episódio da criação da Aguas da Agulhas Negras e posteriormente por sair como candidato a vice na chapa do seu algoz Silvio de carvalho, ninguém até hoje entendeu nada, porém será difícil algum resendense esquecer essa triste passagem da vida politica da cidade.

Menandro por sua vez não é bem visto pelos simpatizantes do PV e também pela maioria dos afiliados do partido na cidade, as reclamações contra o Coordenador regional são sempre as mesmas, dizem que o mesmo não é atuante, não é aglutinador e peca muito na questão de promover o partido, no sentido de buscar nos simpatizantes futuros afiliados. Mas o que pesa mesmo é o fato de ele não praticar a militância verde, razão de ser do partido, e também a reclamação unanime de não divulgar com antecedência as datas de reuniões do partido, bem como de não dar repercussão para conhecimento publico de eleições e eventos do partido, mas como ocupa um cargo importante no partido parece não haver muito problema na prática, ele talvez só corre o risco de largar o osso se acaso o seu imediato Sirkis assim o fizer.

Quanto ao comentário de Marina silva soa mais como reclamação de perdedor, jáo de Sirkis soa mais como oportunista, a famosa insistência na divisão para conseguir o poder. Serkis e Menandro junto com Marina ficariam mais a vontade no PT, não?

2 comentários:

  1. Se a Marina Silva saiu do PV é porque tem alguma coisa de podre lá...

    ResponderExcluir
  2. Sera que não foi ela que levou do PT? Assim como o Minc e o Sirkis?

    ResponderExcluir