terça-feira, 11 de outubro de 2011

PROIBIÇÃO DOS RODEIOS NO BRASIL (a minha solução, ou quase!)


A maior virtude do ser humano é aceitar e respeitar o que não conhece ou não consegue entender, pois julgar sem conhecimento de causa é muita fácil!
Agora TENTAR resolver os problemas advindos desse julgamento na grande maioria das vezes torpe, passa a ser um  problema de toda a sociedade, o que não é justo, e isso apenas por capricho de meia dúzia de pessoas que não pensam antes de levantarem suas bandeirolas em prol de algo que inicialmente pare correto, parece causa digna, mas sequer levam em consideração ou mesmo levantam o custo social que seus atos ou atitudes podem causar, para todos, menos os que não trabalham.

Resumindo, não sou vaqueiro nem peão e nem defensor de causa contra rodeios ou eventos ligados a cultura de um país de origem na agropecuária, onde o rodeio é algo implícito no trabalho dos peões dentro das fazendas, não acho um pensamento correto tirar o boi e o peão do espetáculo, dar a morte  e um frigorifico ao boi e ao peão e sua família condena-los a terem que ir para uma os já lotados subúrbios das grandes cidades, simplesmente por serem impedidos de exercerem suas profissões e sua cultura, ou mesmo serem jogados no  mundo do crime, simplesmente porque quem inventou a causa contra o rodeio não pensou antes em resolver as causas sociais que envolvem o problema, afinal penso eu que todos que participam dessas manifestações sabem que ali gera dinheiro, renda, emprego, se não sabem, é bom que fiquem sabendo.

O pior de tudo é que vou pagar a conta desse despautério social, tanto quanto os militantes da causa, e olha que não concordo em uma virgula com os argumentos deles, que se julgam vitoriosos a cada vez que impedem um espetáculo de se realizar,  o que acho extremamente injusto.

Julgo ser justo, antes de se criar uma causa como essa,  que se crie junto as pessoas que defendem e fundam esse tipo de causa burguesa, politicamente correta, mas sem inicio meio e fim, um fundo! Sim, um fundo para amparar e dar destino para as pessoas que trabalham, neste caso com o Rodeio, isso para que  a sociedade que trabalha, assim como eu  não tenha que pagar a conta, do “politicamente correto” de gente que não pensa no futuro, apenas no imediatismo e na politica, principalmente na polituca...

Então senhores defensores de animais que trabalham em prol de proibirem rodeios, já que querem ser justos com os animais, seja primeiro com os seus semelhantes, os seres humanos e não os joguem em um subúrbio, correndo o risco de aumentar os índices de marginalidade, prostituição e tudo o que vocês vivem cobrando que o governo resolva, mas como se vocês vivem criando mais problemas ao invés de soluções? Pior parem de criar contas para a sociedade pagar, aliás, paguem vocês....

O custo estimado por ano, só dos grandes eventos de rodeio é de cerca de 1 Bilhão de reais... Por ano!
Fica aqui a minha ideia para vocês, para que façam a coisa da forma correta, sem politicagem como ocorreu em Resende e se desejarem posso abrir a conta para que possam começar a depositar o dinheiro, assim que chegar ao primeiro bilhão faço questão eu mesmo de recolher assinaturas para um projeto de lei que erradique o rodeio do nosso país, e nem que seja pelado, entregarei para quem estiver na presidência da republica.

Caso contrário, com todo respeito do mundo, vão caçar trabalho! 

4 comentários:

  1. Vejamos:
    1- A proposta que os rodeios fazem parte da nossa cultura não pode ser usado para o mantenimento de certas atividades. Os Incas jogavam futebol com a cabeça de seus adversários, era a cultura vigente. A Espanha por outro lado acaba de banir as touradas pratica cultural muito mais remota que os nossos rodeios.

    2- A manutenção de um ser humano (trabalho, salário e demais) não pode ser justificativa para o mal trato de qualquer espécie, ou alguém acredita que o boi está se divertindo?

    3- Retirando-se os grandes promotores dos eventos, poucos criadores e pouquíssimos peões a grande maioria dos trabalhadores desse seguimento vivem de salário mínimo o que na verdade não os coloca em posição melhor do que outros marginalizados da sociedade.

    4- Com certeza a proibição dos rodeios deve ser seguida (na verdade antecipada) de ações que possam criar novos postos de trabalho.

    5- Mas o bom mesmo seria se não estivéssemos aqui discutindo proibições. O rodeio nada mais é que uma mudança da arena de gladiadores do império romano. Na verdade o homem ainda se diverte quando, alguém que se credencia superior ao outro, imprimi dor ao seu oponente. Um dia, quero acreditar, o homem não irá mias participar de tais eventos por sua livre consciência de que qualquer tipo de subjugamento de qualquer espécie é naturalmente errado.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Entendo e concordo com você Marco, que como sempre tem bom senso, porém o problema existe e a solução começa em resolver o problema ou digo o que o causa, com certeza uma criança educada em escola de boa qualidade, mesmo vivendo no campo, tendo como exemplo, professores, bombeiros, policiais, advogados, engenheiros etc .. não se encantariam com o rodeio, fazem isso pelo mesmo motivo que o garoto da favela muitas das vezes vai para o mundo do crime, falta de opções de um futuro melhor do que a vida e a realidade de sua família. Como disse antes repito, é uma parte da nossa cultura, e cultura muda-se e não proíbe-se, afinal rinha de galos é proibida e ainda assim são promovidas, ou seja, de que adiantou a proibição?

    Vejo efeito na proibição quando um estudo é feito de forma prévia, avaliação e solução do que rodeia o que será proibido previamente resolvido, assim a sociedade não paga tanto por uma medida que não funciona.

    Vejo um boi de rodeio da mesma forma que vejo um cachorro jogado na rua, ou de um cavalo que puxa carroça, mas a sociedade não se comove com o cavalo que retira o lixo de suas casas, apenas com os bois que geram milhões... É isso o que acabo não entendendo e não concordando em pagar, deveria ser um custo social opcional... Grande Abraço e obrigado por sua participação é sempre bem vinda e respeitada!

    ResponderExcluir
  3. Vejamos novamente.....

    1- Um cachorro jogado na rua é a mesma coisa que um animal solta na selva ou nós mesmos, que lutamos dia a dia para a nossa sobrevivência; é diferente ele solto na rua e sendo espancado deliberadamente pelo prazer de alguém que se classifica como Humano.

    2- as rinhas são proibidas e assim devem ser, pois é dever da sociedade, representada pelo seu governo, preservar a segurança de todos os seres vivos. O que na verdade falta é a aplicabilidade da lei, por motivos de falta de estrutura ou de corrupção.

    3- A educação da moral do cidadão não pode ser cobrada somente da escola. O ser humano deve ser criado de forma amorosa dentro da sua casa, é dos pais e das pessoas que as rodeiam (não no entendimento do rodeio!) o dever de formar boas pessoas que estejam preocupadas em viverem as suas vidas sem degradarem outras ou o ambiente que as rodeia (ih! de novo). Afinal a maior parte de nossos avós nunca ou quase nada frequentou uma escola e, acredito, nem por isso eram pessoas sem consciência do que o ser humano pode ou não fazer.

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Aí é que está, já montei boi quando criança, fazia parte da lida para aprender a amansar o bicho, não tinha sentimento de fazer qualquer tipo de maldade e sim de se colocar o animal submisso a vontade de quem o rebanha, o mesmo com cavalos, etc.. Na época não existia a doma racional. Hoje não faria, porém minha realidade e opções são outras, mas o menino que mora lá no meio do pantanal e rebanha bois não vai ter esse discernimento nem essa cultura, pelo contrario e quando ele descobrir que aquele dom dele de domar o animal pode mudar a vida financeira da sua família ele não vai achar que esta machucando o animal, afinal ele lida com eles todos os dias, as vezes o dia todo sabe dos riscos e sabe que existe uma vantagem para o boi... mas como tem cia de rodeio e cia de rodeio fica complicado de dizer que o boi não é machucado, nas serias o boi é a parte mais valiosa da cia, nas picaretas de fato os animais podem sofrer sim ... mas volto a tecla de que na casa de muitas dessas pessoas não há exemplos, não há discernimento desse certo e errado que vc citou então um peão que cuida e depois monta esses animais jamais vai admitir que existe maldade como alega alguns movimentos.

    ResponderExcluir