quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Alunos da USP envergonham a entidade, a classe e o país!

Até no quesito protesto o Brasil fica atrás do Chile.

Perto de uma eleição para o diretório central, alguns “gênios” da politica estudantil, acharam que defender os três alunos detidos  pela polícia  no dia 27 de outubro por posse de maconha, seria uma boa plataforma para angariar votos.

Os desdobramentos do caso nada mais são, do que  a visão de um país que abandonou a família, a educação de casa e também a educação escolar, com os advindos de tantas leis de proteção para os menores... (menores educados necessitam de leis?).

Após a prisão dos três estudantes, alguns defensores da liberação de drogas começaram a defender e protestar contra a ação da polícia no campus, presença essa solicitada pelos próprios estudantes, após assassinato de um estudante no estacionamento da faculdade.

Será que os estudantes queriam a garantia de segurança da polícia para fumarem maconha sossegados, sem medo de serem assaltados?

Não satisfeitos em enfrentarem a policia ao defenderem os alunos presos, na mesma noite, um grupo de cem estudantes invadiu um prédio administrativo da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas).

Até aí era compressível no calor dos acontecimentos os alunos se recolherem ao prédio onde estudam, em sinal de união e solidariedade aos colegas presos, não que isso esteja ou seja correto, mas.. 

No dia 1 de novembro, os alunos realizaram uma assembleia que decidiu, por 559 votos a 458, pela desocupação do edifício e o fim dos protestos.  A minoria derrotada, porém, não satisfeita com o resultado democrático, decidiram por invadir a reitoria, sem qualquer reivindicação ou motivação justificada, que não uma forma de aparecer para se fortalecer para as eleições estudantis.

Sabe que isso até me lembra o modus operandi de um determinado partido do Brasil!

Conclusão: O que deveria ser um local de estudos e gratidão, pois se trata de estudo de alta qualidade e gratuito, virou um local de exemplo de tudo o que não deve ser feito quando não se tem um motivo, ou quando os verdadeiros motivos por trás do protesto não podem ser divulgados para a sociedade, motivos esses como, por exemplo, a defesa da liberação da maconha ou a militância politica angariando votos para chapas radicais que imitam a militância de esquerda de outrora ou sindicalistas da década de 80.  

Lamentável!

"Faculdade é lugar para quem quer estudar, para quem tem noção de direitos e deveres e se você, aluno da USP quer liberdade, direitos, sem deveres e querem também estar acima da lei, ao menos o façam em uma faculdade privada, de preferência longe do Brasil, assim os crimes ficam menos aparentes! FICAADICA"

Nenhum comentário:

Postar um comentário