quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

O atendimento do comércio de Resende


Nosso eterno problema!

Tenho visto algumas lideranças e representantes de lojas e seguimentos varejistas reclamando das lojas virtuais, o e-commerce, alegando entre outras reclamações publicidade enganosa, disputa desleal, falta desconfiança, risco e até a venda de produtos contrabandeados.

Nesse fim de ano pensei em defender as lojas físicas e fazer todas as minhas compras nelas, uma vez que tinha o preço das lojas virtuais em mãos fui à luta.

Enfrentei muitas filas, primeiro para passar pelas apertadas ruas do centro da cidade ao lado de motoristas mal educados, que param em fila dupla, não respeitam a seta, não respeitam a faixa de pedestre, as faixas continuas,  além de não utilizarem fones de ouvidos e assim como os fanqueiros, acham que somos obrigados a escutar a musica que eles escutam, sem contar é claro a desorganização do transito de Resende, pois só notamos a presença de policiamento  em três pontos da cidade....

Engarrafamento??? Onde? Segundo a Prefeitura de Resende não sofremos mais desse mal! Será os funcionários que dão essa informação andam de avião ou helicóptero.

Bem, após começar com essas pequenas irritações do dia a dia, deixei que o espirito natalino  tomasse conta e segui em frente, mas espantosamente encontrei as lojas mais vazias esse ano e de inicio já me alegrei, pois lojas vazias é sinal de vendedores hiperativos, então fui direto as lojas de departamento, CEM titubear fui ver TV, som, Blu Ray, Celulares, etc..  Até que fui  bem atendido, muita simpatia por parte dos vendedores, mas o preço extremamente salgados, mesmo com pagamento a vista a loja não conseguia chegar próximo do preço que eu já tinha em mãos, nem a um patamar razoável.  

Vendo que ali não sairia negócio após visitar meu amigo Leandro Lamartine, e pagar uma velha conta que lá deixei e comprar várias coisas que estavam me faltando, fui para um    PONTO MAIS FRIO, aí a historia foi outra, os preços a prazo inicialmente até agradavam, embora um tanto longe dos preços das lojas virtuais, mas com parcelas baratinhas, porém quando fiz o calculo vi que estaria pagando 2 e não apenas um produto, pensei comigo vou chamar um simpático vendedor (a) e vou negociar, mas de bate pronto descobri que esse cara havia faltado naquele 22 de dezembro de 2011 e nem simpático, nem vendedor, notei que haviam uns 3 ou 4 mais ao fundo da loja em um divertido e descontraído papo e que todos me viram mas acho que por eu  estar “mal vestido e não ter cara de quem tem dinheiro, como de fato não tenho, decidiram não  perder seu precioso tempo comigo”,  após 5 minutos fazendo aquele papel de pessoa perdida uma filha de Deus resolveu me atender... expliquei a ela minha situação perguntei se pagando a vista no dinheiro ela faria algum desconto...

_”PERAÍ.... Vou ver um negócio aqui....  Esses preços aí é da internet?  Por que se for não dá para comparar....@#$@#$#$@”

Expliquei para ela que quilo seria apenas para ter um ponto de partida mas que estava disposto a negociar... Ela me deu um “belo” desconto a vista. Agradeci o pronto atendimento a simpatia e a disponibilidade e FUI...


Pensei comigo ......   Será que o sorriso, o seja bem vindo!, Como posso ajudar?, Agora só vem depois que pagamos a mercadoria?????

Já descrente de que conseguiria algo melhor do que até ali já havia visto e me lembrando de uma reunião que participei certa vez no CDL, onde ouvi um comerciante exclamar e reclamar que:

“ Resendense tem complexo de vira-lata, pois deixa o comercio local que vende bons produtos por preços competitivos para comprar em Barra Mansa, Volta Redonda, Rio e SP, pagando o mesmo preço e até mais caro se contar a gasolina ou passagem...”  

Como sou brasileiro e acima de tudo Resendense e não desisto nunca, apenas mudo de estratégia, resolvi continuar, agora na  bela companhia da minha irmã que me puxou para dentro de uma loja recém inaugurada na cidade e que em suas propagandas de TV gaba-se de cobrir os preços da concorrência, e esse ano prometeu até dar 1 milhão de reais... “Oba, tá para mim!” Pensei comigo, já que com funcionários novos, sedentos por vender aqui se não comprar ao menos serei bem atendido... DOCE ILUSÃO!!!
Após 10 minutos olhando as TVs de LED, só as grandes... Não consegui saber o modelo do aparelho, nem os preços bem como condições de pagamento, notei que minha irmã quase implorava a atenção de um dos vendedores, mesmo estando a loja vazia!
Já bastante irritado indaguei minha irmã a distância exclamando “ deixe minha irmã, o RICARDO já está rico, e seus vendedores também, não precisam do nosso dinheiro, gastam em propaganda de Tv apenas por status!” muito “P” da vida saímos da loja. 

Como tinha que fazer compras, não poderia desistir e fomos descansar vendo outras coisas e resolvemos comprar sapatos, já que nas grandes redes parecia impossível ser atendidos, entramos em uma das mais tradicionais, se não a mais tradicional loja de calçados de Resende e ao entrar quase fomos estraçalhados pelos vendedores que esbanjavam simpatia, sorrisos e atenção... Conclusão compramos todos os presentes que  poderíamos dar dessa modalidade ali.

Com o espirito natalino renascido e decidido a comparar uma TV de LED de 32” fomos até a ultima loja que faltava visitar desse seguimento, o calor já escaldante lembrava os ares da BAHIA, o que me fez lembrar da simpatia extrovertida daquele povo e da esperança de achar essa energia baiana, no interior da loja...  Após mais 5 minutos e corredores apertados pensei estar no Alaska, ou em algum desses países que as pessoas não falam com estranhos... a história se repetiu, demora no atendimento, mesmo com a loja vazia, e a má vontade em ver preços, falar as funções do produto, o modelo, forma de pagamento, etc, etc,etc

Não sobrou ânimo para comprar mais nada, lembrei de dois amigos que fazem propaganda e locuções para algumas dessas lojas para atrair clientes, e fico me perguntando... Será que os donos e gerentes dessas lojas gastam com o excelente trabalho de atração de clientes para dentro das lojas e o cliente é tratado assim?  De que adianta?

Bom! Uma certeza eu tinha. Eu não iria comprar mais nada nessas lojas, ou compraria em outra cidade ou compraria na internet....

Não sei se foi uma grande e infeliz coincidência, ou se de fato o que sempre ouvi sobre a  prestação de serviços de Resende em sua grande maioria é verdade, as pessoas que trabalham no comércio resendense são mal preparadas, falta reciclagem, falta vontade, falta educação, falta simpatia, enfim todos os dias ouvimos pessoas reclamarem da forma que foram tratadas quer seja em uma loja de roupas, em uma farmácia, loja de departamento ou na birosquinha da esquina de suas casas, parece que as pessoas não dependem de suas atribuições para viverem e sustentarem suas famílias, por isso não se dedicam ou ao menos se mostram felizes por estarem trabalhando.

Ao meu amigo e comerciante que disse a frase que os resendenses têm síndrome de vira-latas, essa síndrome parece sim existir, mas não na população e sim no comércio da cidade, nos prestadores de serviço do comércio, nos donos dos comércios  que está recheado de pessoas que parecem pensar que o cliente não faz mais do que sua obrigação em aceitar ser atendido por pessoas com a cara fechada, mal humoradas, que parecem irritadas com o fato de estarem servindo.

Lamentável... Se continuar assim de fato o comércio de Resende de fato vai continuar vivendo do resto que sobra da internet e dos demais polos comerciais da região.  

Isso posto, lembro-vos ainda que gastei 18,00 reais de estacionamento, 4 em cada “Shopping” da cidade, mais 2 reais cobrados pelo estacionamento do Resende Shopping, mesmo não tendo ficado nem 15 minutos, quando pedi para carimbar o Ticket, segundo a pessoa que me atendeu, essa “promoção acabou”. Indaguei-a se isso não era lei e um desrespeito ao Código de defesa ao consumidor,  ela me garantiu que não trata-se de uma promoção e que agora  como a hora ou fração eram a mesma coisa não existiria a possibilidade de não cobrar mesmo tendo ficado apenas o tempo que sempre achei ser um direito do consumidor ter como carência. Além disso passei por algumas filas, incômodos, coisa que não passaria se tivesse comprado diretamente na internet.

Conclusão:

Cheguei a minha casa, fui até o computador, sem ter que pegar qualquer fila, sem ter que pagar o carro, achar estacionamento, no conforto do meu lar tomando um delicioso suco de acerolas fresquinhas, fui até o site da loja Mania Virtual,  que já havia visitado, efetuei a compra de forma rápida, no frescor e conforto do meu lar, sem estresse sem caras amarradas, sem ser ignorado e comprei com um valor de 25% menor do que o menor valor à vista de qualquer das lojas que fui extremamente mal atendido, uma TV de Led da SAMSUNG de 32” polegadas. Detalhe, o modelo que comprei não era nenhum dos ultrapassados modelos que me foram apresentados nas lojas de Resende, foi o modelo mais novo da marca e com mais opções de recursos tecnológicos incluindo internet.

De minha parte, sem ser para ir às lojas onde já sou cliente há anos e tratado como a um Rei, ou no mínimo tratado da forma que se deve tratar qualquer pessoa que é o caso das lojas Leandro, Viterbo (Resende Shopping - em especial a vendedora Jenny), Tufick de Campos Elíseos, Makel, Eraldo Calçados, Riviera Modas, J Vest, Toulon ( do Pátio Mix, onde a Gerente da loja além de simpática é extremamente agradável), Besouro - Ford (a loja de Barra Mansa), entre algumas outras lojas de Resende e região que são destaques na forma de tratar os clientes, eu prefiro comprar pela internet, claro tomando todas as precauções para que isso não vire uma  grande dor de cabeça.  

Por : Edson C Miranda

Nenhum comentário:

Postar um comentário