sábado, 24 de janeiro de 2015

Fascismo e Nazismo ideias de direita? Será?


Durante a primeira guerra a Alemanha e a Russia, estavam aliadas em 1939, embora lutando uma contra a outra, os dois objetivos eram comuns, e para tal os dois lados, da mesma moeda, forjado e criado pelo mesmo ideal, pela mesma ideia de revolução, coletivismo e supremacia, resolveram iniciar uma guerra de proporções mundiais a começar com a invasão da Polônia e posteriormente países adjacentes. 



Posteriormente a  Alemanha invadiu a França de forma a ficar claro que o Nazismo, o Comunismo e o Fascismo além do imperialismo Japonês se uniram para atacar os os ideias defendidos pelo liberalismo.

Isso fica claro nos discursos tanto de Hitler, como nos de Stalin ou mesmo  Mussolini, ao se dirigirem com ódio e desprezo ao conservadorismo que defendia o mercantilismo da época e ao  individualismo ( liberalismo) que pregava além da liberdade, o direito a vida e a propriedade com um mercado livre e a 
econômico sem interferências dos governos. 

Mas por favor, não me venham com rotinas de redução e simplificação, ou argumentos furados, na tentativa desesperada de salvar a mentira que a 40 anos vem sendo contada  nesse país, de forma oficial, vamos abandonar a desonestidade quanto a isso. Vamos assumir os erros do passado, bem como as mentiras contadas em nome do  ideal que defendem, e parar de dar continuidade a ideias assassinos. 

Sim, é isso mesmo que você está lendo, eu estou afirmando que O nazismo não foi de direita, assim como o Fascismo de Mussolini também não, e nem foram terceira via, como alguns socialistas tentam emplacar. Foi apenas uma vertente antissemita, xenofóbica, populista, nacionalista e progressista do socialismo. Ou seja, mais uma terrível experiência totalitária de esquerda. Uma mistura de nacionalismo extremo, com o que Johann Karl Rodbertus chamava de Socialismo de estado, que depois da segunda Guerra ganhou o nome de Social Democracia. 

Muita gente que caracteriza o nazismo como de direita, defende a tese de que, apesar das indiscutíveis raízes socialistas, o nazismo foi “endireitado” por Hitler, o qual teria sido um capacho dos capitalistas alemães.

Mas eles não provam essa afirmação, apenas fazem ela e usam a rotina desonesta da inversão do ônus da prova para encerrarem o assunto, ou atribuem tal endireitamento a algumas empresas que continuaram a operar na Alemanha, dizendo que isso caracterizaria o capitalismo, quando na verdade muito antes dele, muitas publicações de socialistas alemães forneceram os subsídios teóricos e técnicos,  que ajudaram a criar o monstro nazista.
Pensadores como Fichte, Rodbertus, Lassalle, Werner Sombart, Johann Plenge , H. G. Wells, Friedrich Naumann e Paul Lensch são alguns dos ilustres da época que hoje são quase desconhecidos da elite intelectual de esquerda, que dominam as universidades desde o início do século XX e escondem assim a verdade do grande publico, usando muito materialismo e muita dialética desonesta. Porém, a obra desses senhores estão aí para comprovar a análise de Hayek, por exemplo, análise que eu concordo, e nunca vi nada que me dê a duvida razoável do contraditório. Portanto se quer atribuir o Nazismo a direita, você terá que conseguir colocar também na direita e no liberalismo todos esses autores que foram citados, e mais alguns menos relevantes que eram mais conhecidos localmente.

O ódio por judeus. Esse é um dos mais usados argumentos para afirmar que o Nazismo é de direita, pois Marx era judeu e na cabecinha limitada de socialistas, isso seria um argumento suficiente.

Tudo mentira; O ódio por judeus. Esse é um dos mais usados argumentos para afirmar que o Nazismo é de direita, pois Marx era judeu e na cabecinha limitada de socialistas, isso seria um argumento suficiente.
Fichte, um socialista utópico precursor de Marx foi quem deu a Hitler as ideias anti-semitas. Ele afirmava que :  “permitir que os judeus se tornassem cidadãos alemães livres feriria a nação alemã”. Fichte é também considerado o pai do nacionalismo alemão, uma das bases do regime nazista e de todos os seus derivados. Para mim isso por si só, seria suficiente para colocar o Nazismo como irmão siames do Comunismo e do Fascismo de Mussolini.


Não me recordo de nenhum holocausto promovido pela direita ou por sua vertente mais significativa, o Liberalismo.

Marx foi além e afirmou, categoricamente, sobre os poloneses, as primeiras vítimas de Hitler: “as classes e as raças fracas demais para conduzir as novas condições da vida devem deixar de existir. Elas devem perecer no holocausto revolucionário”. Ou seja, a ideia do holocausto não só não foi de Hitler, como também foi implementada antes pelos comunistas na União Soviética como veremos adiante. Também, não por acaso, os poloneses foram um dos primeiros alvos de Hitler. Esquerdistas, socialistas, comunistas, nazistas, bolivarinos, social democratas, adoram promover holocaustos. 

Ainda na linha das divergências socialistas da época, o que acaba unindo todos estes teóricos é o combate ao liberalismo e ao individualismo inglês, o representante máximo do capitalismo, ou seja, Nazistas, Comunistas, Fascistas, Imperialistas Japoneses, tinham em comum o desejo de acabar com as liberdade individuais, os direitos fundamentais de propriedade, que avançava por todo mundo, principalmente na América.

O combate ao individualismo levava ao coletivismo socialista e a necessidade de um planejamento central. Para Werner Sombart, “as reivindicações individuais são sempre decorrentes do espírito mercantil (..) Há uma vida superior a vida individual – a vida do povo e do estado – e a finalidade do indivíduo é sacrificar-se por esta vida superior. ( eu nunca li nada mais nojento do que isso, ainda mais vindo de um grupo de gente que se dizem defensores da democracia e da liberdade, ou seja, essas agendas de democracia e liberdade são engôdos, mentiras criadas pontualmente para enganar o povo, está ai  os exemplos da China, da Russia, da Ucrânia, da Polônia que não me deixam mentir.Johann Plenge e H. G. Wells dão um passo adiante na ramificação do socialismo alemão ao valorizar excessivamente o papel da Alemanha na construção desse novo mundo socialista que emergiria no novo século XX. Sombart argumentava que os verdadeiros ideais alemães de uma vida heroica estavam, antes da I Guerra Mundial, ameaçados de desaparecer por causa do avanço contínuo do liberalismo inglês. Ele sabia que outros povos desprezavam os alemães por seu espírito guerreiro, mas regozijava-se com isso. A guerra inevitável entre alemães e ingleses representaria a “perspectiva heroica da vida”, a luta contra o ideal oposto, o individualismo e o mercantilismo inglês. A exemplo do que prega o Islamismo, nada menos que a destruição total das demais crenças, ainda que seja pela morte dos infiéis, o Nazismo, Socialismo e o Comunismo buscavam nada menos do que a total destruição do contraditório.

Fico me perguntando se a pessoa que alia a direita ao fascismo e o nazismo, algum dia assistiu uma aula, ou estudou a sério a  história Mundial, ou se simplesmente é uma marionete desse pensamento assassino que matou mais de 120 milhões de pessoas no mundo, e continua tentando matar mais, como podemos ver hoje na Venezuela.  

Fala Sério, que tipo de pessoa que estudou de verdade, pode aliar pessoas que defendem o livre mercado, a estabilidade econômica, a liberdade individual, a propriedade privada e intelectual, a estabilidade jurídica ao fascismo ou ao nazismo?,

Não tem só que ser estupido, tem que ser preguiçoso, acomodado, conformista e sem iniciativa, para não ir atrás da informação e idiota o suficiente, para  aceitar a "verdade"  dita por professores doutrinados e doutrinadores além de desonestos,  todos defensores de uma ideia que prega liberdade de  oportunidade a todos, mas que entrega a morte, a servidão e acaba com a liberdade, priva o crescimento individual. Vide todos os países que foram ou são governados por viés socialista.


É apenas uma questão de ir atras da informação e não ficar aceitando a manipulação da informação sem qualquer prova. Ou baseando-se em livrinhos do MEC ou professores que são tapados, pessoas comprometidas com partidos e grupos ideológicos, que visam apenas tomar o poder e dar vida boa aos companheiros de partido, explorando o suor do povo e as riquezas naturais de um país. Alias a inteligencia é principalmente media em um ser humano, pela sua capacidade de aprender com o erro dos outros, e socialistas e comunistas, ou sociais democratas não podem ser acusados de serem inteligentes. Não! Eles não são, pois não aprenderam nada com as guerras, os holocaustos, as mortes por incompetência do ideal que defendem, pois mataram mais de 60 milhões de pessoas de fome, para impor a elas o que acreditam. 

Agora vamos falar em embasamentos, quais são os embasamentos da esquerda para fazer essas afirmações? 

Não sei! Exatamente, eu não sei, todas as vezes que questionei um professor meu que tenha afirmado isso, que questionei um amigo, um conhecido ou debatedor do assunto, as explicações são toscas, limitadas e sem qualquer embasamento em fatos, apenas rotinas esquerdistas já refutadas, ou um amontoado de falacias que não provam nada. 

Eu por exemplo, busquei ler e encontrei vários autores que sem qualquer intenção ou  tentativa de querem provar que o Nazismo e o Comunismo vieram do ideal socialista, o fizeram apenas descrevendo uma determinado período, é o caso de  F.A. (Friedrich) Hayek no seu livro O Caminho da Servidão. 

Para quem desejar se certificar do que estou falando, tem um link do livro, baixe, leia e tire suas conclusões. 

http://ffn-brasil.org.br/novo/PDF-ex/Publicacoes/Caminho_Servidao.pdf 

Friedrich Engels, o outro expoente máximo do comunismo, não deixou por menos e usou várias vezes o termo “lixo racial” (Völkerabfälle) em relação a várias pequenas nações européias.
Rodbertus, um dos contemporâneos de Marx, foi um dos teóricos do valor-trabalho. Ele é autor de bobagens do tipo “quanto maior a produtividade, maior a exploração”. Apesar do discurso típico socialista, surpreendentemente não pedia a abolição da propriedade privada. 

Vale a pena pontuar que muitos socialistas, ou comunistas, afirmam que o Nazismo não pode ser de esquerda, uma vez que ele defendia a propriedade privada, e que tal ação governamental é prova de que o Nazismo seria de direita, pois é, a mentira está desmascarada, o Socialismo de Estado está aí para desmentir e desmascarar o seu professor desonesto de historia, sociologia, jornalismo etc.  

Lassalle, outro contemporâneo de Marx, vai na mesma linha ao rejeitar a utopia marxista sem classes, mas defendendo o socialismo de estado, exatamente como praticado pelos nazistas décadas mais tarde. Outro argumento que refuta a teoria de que o Nazismo é de direita. 
Plenge, uma grande autoridade em marxismo, autor de “Marx und Hegel”, escreveu um outro livro que se tornou best-seller na Alemanha do início do século XX: “1789 e 1914: os anos simbólicos na história do espírito político”. A tese central da obra era o confronto entre os ideais da Revolução Francesa, notadamente o princípio da liberdade, e o ideal de 1914 que, segundo ele, seria o ideal da “organização”.

Segundo Plenge, “a organização é a essência do socialismo”. Para se diferenciar do marxismo histórico, ele afirmou que Marx traíra essa ideia básica do socialismo ao “aderir à fanática e utópica ideia de liberdade abstrata” (seria uma “liberdade burguesa”?). A economia de guerra alemã de 1914 seria, segundo Plenge, “o primeiro passo na construção de uma sociedade socialista (..) Um novo e grande ideal de vida avança rumo à vitória, enquanto que, ao mesmo tempo, um dos princípios históricos (o liberalismo inglês) entra em colapso final”. Neste novo mundo, que surgiria da I Guerra Mundial, segundo Plenge, a Alemanha surgiria como a locomotiva socialista. Este seria seu destino histórico. Ou seja, tanto as vertentes alemã e russa que chegaram ao poder na primeira metade dos século XX, apesar das divergências, tinham como objetivo expandir seus domínios a outras nações.

E ainda tem gente desonesta nesse país que afirma que o NAZISMO está ligado a direita, não, não está, o Nazismo é o próprio socialismo. E podemos notar essa covardia ideológica com o passar dos anos, os esquerdistas sempre vão se livrando dos nomes do passado e tentando atribuir suas qualidades, seus assassinatos, aos seus inimigos e se trasvestem em nomes ligados e liberdade, democracia, igualdade, mas que no fundo só pretendem aprisionar a humanidade em um regime de servidão e escravidão a uma classe politica dominante, formada por gente desonesta e corrupta, que fazem qualquer coisa pelo poder. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário