Escute a Bitradio e ganhe dinheiro.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Golpismo é não ouvir o clamor popular.

Tenho visto muitos petistas, aqueles mesmos raivosos, que no decorrer do governo Collor, gritaram pela saída do então presidente, pela suspeita, de envolvimento com esquema de corrupção, sendo a única prova para isso, era um FIAT Elba. Ainda assim os petistas seguiram em frente e lincharam Collor em praça publica, em um processo controverso e sem as conclusões finais e principalmente, sem o amplo direito a defesa, impuseram-lhe o processo de impeachment de forma truculenta e pouco civilizada.

Hoje, eles parecem nem serem mais, os paladinos da justiça e defensores da ética que se apresentavam na ocasião. Pois os petistas daquela época iam as ruas com a bandeira da ética junto com a do PT.

Hoje 23 anos depois, com a ética esquecida, a moral caída, as leis sendo ignoradas juntamente a um discurso jocoso e forçado, os petistas gritam, esperneiam diante do inevitável, a retirada de Dilma da presidência pelo mesmo processo aplicado a Collor, com a diferença de mais de 90 bilhões de reais em desvios e dinheiro público, e a prisão de Lula por corrupção, entre outros crimes. Agora eles afirmam se tratar de golpe.

Tentam legitimar tal afirmação com a alegação de que Dilma teria recebido do povo o seu mandato, de forma democrática, ignorando o fato de que seguir as leis, como a lei do o impeachment é um ato de democracia, tanto quanto o de votar.  Os petistas ignoram o fato de que os mesmos que elegeram a Dilma, são os 43% de brasileiros que avaliam hoje o governo dela é péssimo.
Golpismo está em virar as costas para as leis, e para o clamor popular. Dilma se elegeu democraticamente, mas usou-se de enganação, compra de votos por meios de programas sociais e muitas mentiras, além de tentativas seguidas de assassinato de reputação dos seus adversários. Golpismo seria não dar voz ao clamor popular, golpismo seria desrespeitar a lei e silenciar o povo a força, como parece ser a ideia do PT.

A lei LEI Nº 1.079, DE 10 DE ABRIL DE 1950, é bastante clara e compreensível e qualquer leigo consegue ver que hoje, Dilma já pode ser enquadrada nessa lei.

Art. 1º São crimes de responsabilidade os que esta lei especifica.
Art. 3º A imposição da pena referida no artigo anterior não exclui o processo e julgamento do acusado por crime comum, na justiça ordinária, nos termos das leis de processo penal.

CAPÍTULO III
DOS CRIMES CONTRA O EXERCÍCIO DOS DIREITOS POLÍTICOS, INDIVIDUAIS E SOCIAIS

Art. 7º São crimes de responsabilidade contra o livre exercício dos direitos políticos, individuais e sociais:
1- impedir por violência, ameaça ou corrupção, o livre exercício do voto;
2 - obstar ao livre exercício das funções dos mesários eleitorais;
3 - violar o escrutínio de seção eleitoral ou inquinar de nulidade o seu resultado pela subtração, desvio ou inutilização do respectivo material;
4 - utilizar o poder federal para impedir a livre execução da lei eleitoral;
5 - servir-se das autoridades sob sua subordinação imediata para praticar abuso do poder, ou tolerar que essas autoridades o pratiquem sem repressão sua;
6 - subverter ou tentar subverter por meios violentos a ordem política e social;
7 - incitar militares à desobediência à lei ou infração à disciplina;
8 - provocar animosidade entre as classes armadas ou contra elas, ou delas contra as instituições civis;
9 - violar patentemente qualquer direito ou garantia individual constante do art. 141 e bem assim os direitos sociais assegurados no artigo 157 da Constituição;

10 - tomar ou autorizar durante o estado de sítio, medidas de repressão que excedam os limites estabelecidos na Constituição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário