quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Progressismo, a arma mais fatal do socialismo.


PROGRESSISMO

Progressismo é a ideologia política que passou a ser usada por comunistas, socialistas e todas as vertentes da esquerda política para dar progresso ao processo revolucionário cultural difundido principalmente pela Escola de Frankfurt, onde a lógica e a razão são ignoradas e todo discurso é entorno da dialética marxista, da crítica destrutiva, de ações afirmativas estatais que tem como alvo o modo de vida capitalista ocidental, e o pensamento sempre tem que se submeter e se alinhar a causa, caso contrário, não é aceito pelos demais intelectuais, sendo assim é uma ideologia contraria a liberdade individual.
A ideia de progressismo é perverter o modo de vida ocidental, conservadores, liberais, jurídicos, sociais, estabelecidos pela nossa cultura visando causar o caos, para que do caos uma nova sociedade venha a nascer. Como se algo bom pudesse nascer da perversão.

O QUE É?

É colocação na pratica, de dar prosseguimento a algum tipo de rompimento com o senso comum estabelecido,  por meio da visão revolucionária, onde todo e qualquer conceito vigente possa ser subjetivado, para que possa ser utilizado em favor do processo revolucionário, independente da lógica ou da razão.

Ela acontece de forma lenta, constante, insistente e reincidente.
Você propõe a aprovação de alguma lei, ou alteração da mesma, ou artigo, inicialmente inócuos que não mude a estrutura da mesma. Com o passar do tempo você vai sugerindo propostas de mudanças que ao final do processo progressista sobre aquele assunto, o trecho modificado invalida toda a lei inicial, ou lhe dá caráter contrário a sua existência, tornando a lei inútil, ou hostil a sociedade.

A QUE SERVE?

Mudar conceitos. Subjetivar o entendimento comum de algum conceito, afim de transformar o entendimento objetivo e racional estabelecido por meio da cultura vigente em algo subjetivo, que possa ou não ser aplicado individualmente ou coletivamente visando livrar de punição alguma classe, classe essa que possa a posterior ser utilizada como massa de manobra politicamente para a perpetuação no poder.

COMO É APLICADO?

A priori, o conceito de prisão domiciliar não existe. Criar o conceito de prisão domiciliar  é em si uma forma de progressismo, quando você milita por algum tipo de transgressão da moral e da ética, por meio da perversão de algum conceito e depois passa a sempre progredir a fim de acabar com o sentido inicial objeto do conceito atacado, neste caso o conceito é a PRISÃO, assim você cria a necessidade de algum tipo de tribunal social, algo subjetivo para julgar quem recebe ou não o benéfico,  e quem não recebe, isso transforma uma lei social harmônica em uma ferramenta de vingança e censura.
A sensação de insegurança na sociedade é dentre outros uma militância do progressismo, para gerar a necessidade de debates políticos, debates esses que não acontecem, mas os espaços abertos por eles são utilizados para que se apresente mais "soluções" progressistas para outros problemas criados pelo progressismo. Assim você consegue aparelhar ideologicamente toda a estrutura social, por meio da apresentação de soluções magicas para problemas graves, como por exemplo dizer que o investimento em uma educação ruim, enviesada ideologicamente, vai resolver o problema da violência e a criminalidade na sociedade, isso sem consultar a sociedade, se ela quer ou não essas soluções, retirando a liberdade das pessoas em uma democracia de escolherem o que querem para as suas vidas.
EXEMPLO?

STF julgará esta semana prisão domiciliar para detentos grávidas, isso se analisado de forma superficial parece uma atitude humana, mas não é, é irresponsável que descaracteriza o sentido de privação de liberdade. Imagine que para conseguir
De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), 622 mulheres presas em todo o país estão grávidas ou amamentando.

Ou seja, neste caso, o progressismo foi direcionado e aplicado objetivando acabar com o efeito do que seja o conceito de prisão, criando um conceito paralelo onde possa haver o entendimento de que o conceito de prisão aceite o relativismo criando a ideia de que se possa privar alguém de liberdade e direitos sociais dentro de sua própria casa.
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar na próxima terça-feira (20) um habeas corpus coletivo que busca garantir prisão domiciliar a todas as mulheres grávidas que cumprem prisão preventiva e às que são mães de crianças de até 12 anos. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça(CNJ), 622 mulheres presas em todo o país estão grávidas ou amamentando.
A ação constitucional chegou ao STF em maio do ano passado e é relatada pelo ministro Ricardo Lewandowski. O julgamento é motivado por um habeas corpus protocolado por um grupo de advogados militantes na área de direitos humanos, com apoio da Defensoria Pública da União (DPU).


CULTURA

O papel da cultura é o de construir uma sociedade melhor, de construir pontes entre pessoas, em especial as que residem em uma mesma área geográfica, serve a enriquecer a vida do indivíduo por meio da arte, incentivar o autoconhecimento, o intelecto, além da apreciação da beleza que pode ser produzida tanto pelo indivíduo, quanto pelo conjunto social a que pertence, ou passa a pertencer aceitando tais valores. Ela não deve ser usada como arma de destruição da paz social, de conceitos ou costumes estabelecidos, como meio para um fim, como meio de militância, seja ela qual for. Use sua inteligência, preserve a Cultura do seu país, do seu povo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário