sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Reflexão sobre a Separação de Poderes do Brasil.


Dizem que o STF é a entidade que guardiã da letra da lei constitucional, guarda a constituição, para que por meio das leis, os tiranos não possam pervertê-las e usar as leis contra o povo.  Ele tem poder para tornar uma lei inconstitucional, ou para dar novo entendimento a um determinado trecho da constituição, ainda que o entendimento seja contrário ao entendimento anterior, do mesmo STF, ainda que se trate do mesmo texto.

Com todo esse poder, esse  grupo de pessoas, denominadas de STF se apresenta a sociedade, que paga os seus salários, como pessoas ponderadas, acima de interesses e siglas partidárias e ideologias, eles que detêm o poder para mandar prender e mandar soltar quem quer que seja, ainda que para isso seja necessário uma canetada, nada democrática, ou republicana.

O STF tem como seu papel principal corrigir os ERROS do SENADO e do congresso nacional, quando esses não são corrigidos pelo bom senso do veto presidencial.

Segundo ainda os ministros da suprema corte, eles tentam ao máximo possível ouvir e atender os anseios da sociedade para tomar as suas decisões.

Nessa quarta-feira, dia 07 de Novembro de 2018, na primeira semana de transição do novo governo, o SENADO de forma sorrateira, sem dialogar com a sociedade, com os demais poderes, nem mesmo entre os próprios senadores, joga uma pauta bomba nitidamente escolhida. para deteriorar o governo vindouro que além de pegar uma economia fragilizada, pega um estado que cria déficit fiscal atrás de déficit fiscal, ano após ano, e os senadores que não foram reeleitos, como forma de vingança ao povo, decidiu criar uma conta que impacta em mais de 7 bilhões nas contas de 2019, isso em um orçamento que estava deficitário em 210 Bilhões. Sem apontar as fontes de pagamento, sem olhar para os estados que estão endividados, em déficit, justamente por serem obrigados a pagar esses supersalários aos serventuários estaduais da justiça, o que consome mais de 1/10 de toda a arrecadação da maioria dos estados brasileiros, que estão endividados e com a arrecadação baixa, porém, independente de ter ou não dinheiro em caixa, esses notáveis da sociedade tem que ser pagos, a prioridade de pagamento do estado é direcionada a eles.

Não é razoável aceitar que pessoas que falam tanto em igualdades, equidades, e que dizem militar pela diminuição do abismo social que existe entre eles, os mais ricos, e os mais pobres, nós, que pagamos os salários dos ministros do Supremo.

Em condições normais de temperatura e pressão esses super paladinos da justiça devem corrigir todos os erros cometidos pelos senadores, esses mesmos paladinos que comandam o TSE, são os que fizeram pirraça, descumpriram leis constitucionais que determinavam o voto impresso em 2018 alegando que o estado não tinha condições de arcar com os 8 bilhões a mais no processo eleitoral, e que isso custaria a estabilidade econômica do país, porém se os 8 bilhões forem  para o bolso deles, não tem problema? Que senso horroroso de justiça é isso?

Quando o SENADO comete inconsequências, que dado o momento econômico podem ser aferidas como CRIME de responsabilidade, ou de irresponsabilidade , mas o crime é favorável a eles, STF,  será que esses paladinos da justiça terão a decência, a coragem  e a retidão, que dizem ter como pessoas e como entidade e vão rejeitar essa infame aprovação?

Cadê o STF Guardião da Constituição que adora dar uma canetada?

Nenhum comentário:

Postar um comentário